Debate sobre os erros da Revolução Russa

Versão para impressãoEnviar por email

É nosso propósito expor através do artigo a seguir, A Revolução Russa: expressão mais avançada de uma onda revolucionária mundial, nossos comentários críticos sobre o texto intitulado As ambigüidades da Revolução Russa: Lênin e a revolução, publicado na Revista Germinal da OPOP [1] (que publicaremos mais adiante)

O interesse de discussões polêmicas acerca da Revolução Russa é óbvio desde que se reconheça que esta primeira tentativa revolucionária mundial constitui, para a classe operária, uma fonte considerável de ensinamentos e, por conta disso, um patrimônio inestimável com vistas à preparação para próximos enfrentamentos revolucionários. É nitidamente em tal perspectiva que se inscrevem o artigo da OPOP e nossas considerações críticas a propósito do mesmo.

Do nosso ponto de vista, o artigo faz uma abordagem do ponto de vista realmente proletário das questões essenciais colocadas pela Revolução Russa. Embora em nosso artigo formulemos observações e até criticas quanto à maneira de colocar certas questões e quanto às respostas feitas a estas, consideramos que este texto merece ser objeto de um debate para além das nossas duas organizações no seio do meio revolucionário. Mantemos este ponto de vista sobre este artigo apesar do mesmo conter uma conclusão inapropriada, em total contradição com seu método global. Com efeito, esta última convida o leitor, para entender melhor a degeneração da Revolução Russa, a estudar "processos similares (na China, em Cuba e na Nicarágua, em todo o Leste europeu, na Ásia e na África)" (destacado por nós) que,  ao mesmo tempo, são justamente qualificados pelo artigo de "verdadeiras aberrações ditatoriais (...) em nome do "socialismo" e da "ditadura do proletariado"". O problema reside exatamente nisso, pois os exemplos dados nunca corresponderam a revoluções proletárias (nem sequer burguesas), mesmo que o discurso da propaganda burguesa e, em particular, de suas frações trotskistas e maoístas insistam em afirmar tal caráter. Portanto, não podem ser qualificados como similares à Revolução Russa.

[1] http\\opopssa.info