Quem poderá transformar o mundo?

Versão para impressãoEnviar por email

"O comunismo está morto! O capitalismo venceu porque é o único sistema que pode funcionar; É inútil e perigoso sonhar com outro tipo de sociedade!".

Essas mensagens fazem parte da gigantesca campanha que a burguesia dissemina desde a queda do bloco do Leste e dos regimes supostamente "comunistas" no início dos anos 1990. Ao mesmo tempo, em conclusão, a propaganda burguesa tenta, mais uma vez, desmoralizar a classe operária tentando persuadi-la de que daí para frente ela já não será uma força na sociedade, de que já não tem nada a dizer, que definitivamente já não existe. O ressurgimento dos combates de classe, desde 2003, desmente na prática tais mentiras. Porém, ainda assim, a burguesia não cessará, inclusive durante o curso de grandes lutas operárias, de repisar a idéia de que essas lutas de modo algum poderão atribuir-se como meta a derrubada do capitalismo e a instauração de uma sociedade que nos liberte das mazelas que esse sistema impõe à humanidade. Assim, contra todas as mentiras da burguesia, e também contra o ceticismo de alguns que pretendem ser combatentes da revolução, a afirmação do caráter revolucionário do proletariado continua sendo uma responsabilidade dos comunistas. É o objetivo desses dois artigos.