A crise do capitalismo

em

Versão para impressãoEnviar por email

Porém desde o fim dos anos 60, essa perspectiva tem mudado de maneira fundamental porque já está terminada a situação de "prosperidade" econômica que veio com a reconstrução do pós-guerra, "prosperidade" que não só os adoradores do capitalismo como também alguns mais, que se diziam inimigos seus, apresentavam como eterna. Desde metade dos anos sessenta, após vinte anos de crescimento eufórico, o sistema capitalista volta a ver de frente um pesadelo que parecia haver passado a história plasmada em imagens amareladas da ante-guerra: a crise. Esta continua aprofundando de maneira inexorável, o que é uma patente demonstração da justeza da teoria marxista, ainda que toda uma série de falsificadores a soldo da burguesia, de universitários ansiosos de "novidades", de pseudo-revolucionários com cátedra, de Prêmios Nobel e de acadêmicos, de "experts" e de "celebridades, assim como de toda classe de "céticos" e de amargurados não tem deixado de proclamar sua superação, sua "caducidade" e sua "quebra".