Capitalismo de estado

A corrupção e o estado

Antecedentes

A história da humanidade se desenvolve — num processo que não é linear, mas articulado de forma complexa —, através de formações sociais erigidas sobre correspondentes modos de produção que se lastreiam, por sua vez, em relações de produção específicas. Todas as formações sociais da história passaram pelo período de implantação, apogeu e dissolução e crise. Assim foi com a sociedade primitiva, na qual inexistiam a propriedade privada dos meios de produção, as classes sociais e o Estado, e também com as formações sociais baseadas na exploração de uma classe sobre outra: a asiática, a escravista (clássica, greco-romana, moderna e colonial), a feudal e a capitalista

4. O capitalismo de estado

Em todo período de decadência, ante o agravamento das contradições do sistema, o Estado, que atua como garantia da coesão do corpo social e das relações de produção dominantes, tende a reforçar-se até o extremo de incorporar a suas estruturas o conjunto da vida social. A hipertrofia da administração imperial e da monarquia absoluta são manifestações deste fenômeno, na decadência da sociedade escravista romana e na da sociedade feudal respectivamente.
Divulgar conteúdo