Declaração internacionalista feita em Coréia contra a ameaça de guerra

em

Versão para impressãoEnviar por email

No final de outubro, uma conferência de organizações internacionalistas, grupos e militantes foi convocada pela SPA (Aliança Política Socialista) nas cidades da Coréia do Sul de Seul e Ulsan. Apesar do modesto número de membros presentes, a SPA é a primeira expressão organizada no Extremo Oriente dentro dos princípios da Esquerda Comunista (pelo menos no que conhecemos) e esta conferência foi provavelmente a primeira desse tipo. Como tal, ela tem uma significação histórica e a CCI a tinha apoiado o máximo possível, enviando uma delegação para participar de seus trabalhos[1].

Entretanto, durante os dias que antecederam a conferência, a importância a longo prazo dos seus objetivos, foi obscurecida pela acentuação dramática das tensões imperialistas na região causada pela explosão da primeira bomba nuclear da Coréia do Norte e por todas as manobras que se seguiram por parte das diferentes potências presentes na região (Estados Unidos, Japão, China, Rússia, Coréia do Sul). Conseqüentemente, esta questão foi amplamente debatida durante o curso da Conferência e deu lugar à adoção por parte dos participantes – cujos nomes figuram abaixo do texto - da Declaração seguinte:

Declaração Internacionalista contra a ameaça de guerra na Coréia

Diante da notícia de provas nucleares na Coréia do Norte, nós, comunistas internacionalistas reunidos em Seul e Ulsan:

1. Denunciamos o desenvolvimento de novas armas nucleares em mãos de um outro Estado Capitalista: a bomba nuclear é a expressão máxima da guerra inter imperialista, sua única função é o extermínio massivo da população civil em geral e da classe operária em particular.

2. Denunciamos sem reservas este novo passo para a guerra assumido pelo estado capitalista da Coréia do Norte que demonstra desse modo uma vez mais (se isso fosse necessário) que não tem absolutamente nada a ver com a classe operária e o comunismo e que não é outra coisa que uma das mais extremas e grotescas versões da tendência geral do capitalismo decadente rumo a barbárie militarista.

3. Denunciamos sem reservas a campanha hipócrita dos Estados Unidos e seus aliados contra seu inimigo norte-coreano, o que não é outra coisa que a sua preparação ideológica para lançar – quando tiver capacidade para isso – suas próprias ações preventivas das quais a classe trabalhadora será a principal vítima, como está sendo agora no Iraque. Não devemos esquecer que os Estados Unidos foram a única potência que utilizou armas nucleares na guerra, quando aniquilaram as populações de Hiroshima e Nagasaki.

4. Denunciamos sem reservas as supostas "iniciativas de paz" que aparecem sob o patrocínio de gangsteres imperialistas como a China. Sua preocupação não é a paz e sim a defesa dos seus próprios interesses na região. Nós, trabalhadores, não devemos ter nenhuma confiança na "intenção de paz" de nenhum Estado Capitalista.

5. Denunciamos sem reservas todo intento da burguesia da Coréia do Sul de tomar medidas repressivas contra a classe operária ou contra militantes em sua defesa dos princípios internacionalistas, sob o pretexto de proteger a liberdade nacional ou a democracia.

6. Declaramos nossa completa solidariedade com os trabalhadores da Coréia do Sul e Coréia do Norte, China, Japão ou Rússia, que serão os primeiros a sofrer as conseqüências caso ocorram ações militares.

7. Declaramos que só a luta dos trabalhadores em escala mundial pode colocar um termo final à constante ameaça da barbárie, da guerra imperialista e da destruição nuclear que pesa sobre a humanidade sob o capitalismo.

Os proletários não têm pátria a defender!

Proletários de todos os países! Uni-vos!

Esta declaração foi assinada pelas organizações e grupos seguintes:

- Aliança Política Socialista (Coréia), reunião do grupo de Seul de 26 de Outubro 2006
- Corrente Comunista Internacional
- Perspectiva Internacionalista

Alguns camaradas presentes na Conferência também assinaram em nome individual:

- SJ (Grupo de Seul pelos Conselhos Operários)
- MS (Grupo de Seul para os Conselhos Operários)
- LG
- JT
- JW (Ulsan)
- SC (Ulsan)
- BM

 

1 Escreveremos posteriormente sobre os detalhes da Conferência